em Conceitos

Defesas com 4 e 5

No último post tratamos sobre como começar a enxergar a formação defensiva de uma equipe e exemplos de times se defendendo principalmente com duas linhas de quatro jogadores. Agora vamos entrar um pouco mais no detalhe de uma linha de 4 jogadores e falar também sobre a linha com 5 defensores que se tornou popular na Euro2016 e vem sendo bastante utilizada, até aqui no Brasil, desde então.

Linha de 4

Formada pelos dois zagueiros e os dois laterais na defesa e mais volantes e meias no meio campo. Abaixo alguns exemplos de posicionamentos defensivos para identificarmos quando uma equipe se comporta assim.

Primeiro o Milan postado quase completamente em linha esperando outro ataque de um Barcelona que já vencia aquela partida. Poucas opções de passes para a frente, com Neymar longe da bola e Alexis (embaixo) que só criaria algo com uma eventual aparição do Messi (no meio das duas linhas do Milan¹) para uma tabela em toques de primeira. É importante que De Jong e Montolivo se atentem à posição do argentino, mas também fechem os espaços para que Xavi não consiga fazer o passe para ele. Sim, é bem complicado ser volante.

Uma coisa muito importante na hora de defender é fechar a opção de passe. Isso pode forçar várias situações de recuperação de bola, como um passe errado, um desarme no jogador que tentou driblar para avançar ou um passe para trás, que é a mais frequente.

Milan na defesa enquanto o Barça ataca

 

Imagens de arquibancada™

Esse vídeo aqui de Slavia Praga vs Ajax tem muitos pontos legais. Além disso a descrição tem comentários interessantes pra aprofundar as ideias.

Foi gravado da arquibancada atrás do gol, que não é o melhor lugar pra enxergar aspectos táticos no jogo (pela ausência de profundidade, dependendo da altura em que você está), mas mostra bem o comportamento da defesa. A câmera vai pra um lado e para o outro, seguindo a bola, mas dá pra notar que o Slavia (de camisa preta) tem uma linha de defesa com 4, uma linha no meio com 5 e mais um atacante sozinho na frente.

O time se mexe de acordo com a posição da bola pra fechar os possíveis passes e pressiona para tentar roubar quando há alguma indecisão dos jogadores do Ajax, até a bola ser recuada no goleiro para recomeçar. Tudo termina com um passe cortado por conta dessa organização defensiva e uma falta para parar o contra-ataque que o Slavia faria depois de roubar.

Vídeo muito legal, porém não dá pra colocar no post. Clique para ver no Youtube e volte já aqui.

Abaixo uma tradução livre da descrição do vídeo, que comentei acima:

Técnicos: coisas para considerar observando a defesa de 4 do Slavia (de preto)

  1. Distância entre os jogadores: mais próximos perto do gol, mais distantes na parte de cima do campo.
  2. Forma: como um taco de hockey no lado inverso da posição da bola (pausa aos 16s para uma boa visão).
  3. Apertando oponentes para tocarem para trás: (16s aos 24s) você vê até o goleiro gesticulando para condensarem o espaço.
  4. Este bom comportamento força o Ajax para um passe que eles não podem completar e eventualmente resulta numa falta para o Slavia.
  5. Se você olhar com atenção, o meio campista de preto no meio da linha marca proximamente quando alguém entra na sua área (+/- aos 24s), mas se distancia daquele jogador quando ele sai daquele espaço [nota minha: sintoma de uma marcação feita por zona, que vamos abordar em breve].

 

 

Linha de 5

Normalmente defesas assim têm 3 zagueiros centrais e dois alas, que são mais livres para atacar do que laterais (por conta desse zagueiro extra, além dos volantes), mas participam também do momento defensivo se posicionando perto do seu gol.

Neste recorte do tradicional Aktobe, do Cazaquistão, contra o AZ, da Holanda (não reclame do jogo, foi o que deu pra achar de imagem), o meio campo não está alinhado, mas podemos perceber a concepção com a proximidade dos jogadores. As bolinhas vermelhas identificam os 5 jogadores na defesa, as 4 amarelas os do meio e a azul o atleta mais avançado. Pela posição de todo mundo e o lado que os jogadores estão virados, foi uma bola recuada do lateral esquerdo do AZ para o meia que está com a bola  e voltando para trás neste lance, possivelmente pela boa marcação do time cazaque neste momento.

Aktobe se defendendo contra o AZ pela Champions League [análise]

Itália – Euro2016

Quem aplicou com mais visibilidade essa forma com 5 defensores foi Antonio Conte na seleção da Itália na Euro216. Eliminado nas 4ªs de final nos pênaltis pela Alemanha (primeira vez na vida que a Alemanha ganha da Itália num jogo importante, vale dizer), Conte repetiria o esquema e o sucesso quando contratado pelo Chelsea logo depois e viria a ser campeão inglês com uma defesa excelente e apostando num jogo muito efetivo de contra ataque.

3-5-2 de Antonio Conte na Itália. Explicação completa neste vídeo (que sinceramente achei bem chato)

Mas apesar do vídeo ser chato, as ideias passadas nele são interessantes e vou lista-las aqui para economizar 3 minutos e meio da sua vida. Dá pra fazer um miojo e colocar o tempero nesse tempo e essa é minha sugestão depois de você terminar esse post.

Defesa fica avançada +/- 10m na frente da área, para não dar muito campo à Espanha e tem todos seus jogadores dentro dum espaço de 20m a 25m.

Os 3 do meio campo protegem a área central a todo custo e não se distanciam ou quebram a linha². É importantíssimo proteger essa região, pois a maioria absoluta dos meias criativos atua por ali ou pode encontrar um bom passe a partir do meio do campo se tiver algum espaço. Independente de uma defesa com 4 ou 5, esse cara criativo deve sempre ser pressionado.

Os 3 da defesa espelham os 3 do meio, também com pouco espaço entre eles (6m a 8m), sempre mantendo consistência de posicionamento, simetria e atenção com a linha que formam.


Os alas protegem as laterais e formam triângulos com os outros defensores perto dos seus lados para marcar pontas ou meio campistas que recuam para armar. Ele não fala no vídeo, mas com essa forma também podem se defender de uma eventual superioridade numérica que o oponente pode fazer colocando um jogador extra por ali para uma rápida tabela.

Os atacantes cercam e fecham opções de passe quando a bola está com os zagueiros da equipe oposta.

² A linha do meio só se quebra para pressionar um jogador com a bola. Todo eles diminuem o espaço de quem está com a bola e é bom que tomem a posse, senão ficou um buraco na marcação, com vários jogadores fora do lugar e o outro time em posição de criar uma assistência ou finalização. Roubada a bola, esses jogadores devem ter um ótimo passe para começar o contra-ataque encontrando seus jogadores que estão se espaçando pelo campo enquanto encontram o adversário ainda entrando em formação defensiva pela perda da bola. Veja no gif abaixo (ok, uma parte legal do vídeo)

Itália rouba a bola da Espanha

Linha do meio só se quebra para pressionar e roubar a bola

 

¹ Messi chegou ao ápice do seu potencial ao encontrar espaço entre zagueiros e volantes. O espaço nem é tão grande, mas para este gênio se tornou um latifúndio para vermos seus melhores momentos. O ataque a esse espaço, o entrelinha, é fundamental para a criação de jogadas de ataque num futebol com cada vez mais velocidade e marcação como o atual. Jogadores como Lucas Lima e Bruno Henrique, do Santos, por exemplo, fazem ótimo uso dessa estratégia. Falaremos mais sobre isso alguma hora.

Acompanhe a sequência sobre como enxergar melhor o jogo




E o seu time?

Como defende sua equipe do coração? Com 4 atrás? Com 5? Com essas coisas novas na cabeça, tente reparar e comente aqui o quanto o técnico é vacilão de não implementar ideias mais sólidas.